sexta-feira, 19 de janeiro de 2007

Não ser...


Sempre gostei destes bichos. Libelinhas. Mesmo antes de uma qualquer marca de telemóveis as trazer a público, com o pomposo nome de "efémeras". Tem asas. São livres.

Às vezes apetece-me ser assim. Às vezes não, sempre. Ter asas. Voar, voar, voar. Não pensar nada. Não ser nada. Não sentir nada.

Eu sei, eu sei que sou feliz. Só posso ser feliz. Mas apetecia-me ser libelinha. Posso?!

4 comentários:

MS disse...

Podes. Deves.

Compreendo a necessidade de liberdade, como compreendo. E libelinha parece-me muito bem. Bonita, leve, livre. Bom..muito bom.


beijinho*

Martinhaa disse...

ter asas e ser livre...
como seria óptimo =)

um beijo qeridinhaaa

Pin* disse...

liberdade fosse eu, p ta dar!!!
ai, tenho andando desaparecida, mas presente... venho aqui leio o que escreves, deixas-me a pensar... tens o condão de acertar nalgumas coisas que sinto.
(acabo de suspirar)
vá... estradinha adiante!! só assim se faz caminho! gosto de caminhar contigo.
um beijinho, toma que é teu*

Sierana disse...

Libelinha :)
Sempre me fascinaram!
Voa,é só querer!