domingo, 21 de janeiro de 2007


Chega. Não consigo correr mais, lutar mais, ser mais. Não consigo. Não tenho capacidades para isso. Pensei que as tivesse, mas não tenho. Desisto de tentar sozinha. Mostrei-te o mundo sem sair daqui. Fiquei na sombra e nem deste por isso. Baixei as minhas defesas como nunca tinha feito e abri-te portas. Abri-te portas e janelas para que entrasses. Não entraste.

Não posso, nem quero fazer mais do que fiz. Superei-me. Descobri-me. Expus-me. E provavelmente nem notaste. Não notaste a maneira como eu te falava, a linguagem que os meus olhos tinham, a doçura das minhas palavras.

Devolve-me o mundo que criei. Devolve-me os sonhos, as expectativas, as esperanças. Devolve-me inteira. Devolve-me a mim ao meu corpo. Não te pertenço. Nunca pertenci. Um dia, acreditei que sim. Que me ias tomar como tua e dar-me o mundo. Enganei-me. A única a dar algo fui eu. Estupidamente dei. Sem olhar a meios. Dei porque é assim que funciona. Quando se gosta os medos desaparecem. Ou secalhar só funciona assim no meu mundo. Esse mundo que nunca ousaste entrar. Os olhos que nunca leste, as mãos que nunca tocaste. Não tenho perguntas. Não tenho respostas. Mas desisto. Devolve-me a vida para que possa viver outra vez. Devolve-me a alegria que levaste. Devolve-me as palavras que disse e as que ficaram por dizer. Devolve-me os dias em que não soube sorrir. Os dias em que desesperei, sem motivo aparente. Ou por motivos que só o meu coração conhece.

Portanto, devolve-me o caminho que percorri, o arco-íris que pintei, a flor que colhi, o amor que nasceu.

Espera. Não devolvas. Fica com eles. Podes ficar. Assim podes olhar para as tuas mãos, previamente vazias, e vê-las cheias. Cheias de algo que não soubeste aceitar.

Não preciso de nada disso. Tenho o coração cheio e o que guardo, nunca mais sai. Nem tu.

1 comentário:

borrowingme disse...

se há dificuldades na vida esta será uma delas
expor tudo o que nos vai na alma... arriscar sem saber o que nos reserva o futuro
devolver... não vale a pena
foste tu a "despir-te"...
isso dá te o direito
de sair
pela porta principal

bjs