quinta-feira, 5 de novembro de 2009

We're all allowed to dream.


Nos teus beijos sou princesa. Bailarina de pontas, folha de Outono caída, envolta em pequenos furacões de tempos presentes. Sinto-te chegar num sapatear de flamenco e sou sevilhana, de rosa vermelha no cabelo e saia negra. Cara fechada onde não deixo transparecer o apetite que te tenho. Em ti os lábios pedem lábios, sempre, por muito que os tentemos iludir com outros beijos em zonas mais efémeras do corpo. Não me chegam mãos, nem testas em sinal de protecção. A minha boca clama a tua e inevitavelmente é nelas que nos perdemos. Desenganos, ilusões, surrealidades ou talvez não, porque é sempre aí que nos conhecemos em pleno.
Baixa a luz, vamos dançar na rua para os bancos vazios do jardim.

6 comentários:

Qel disse...

«Baixa a luz, vamos dançar na rua para os bancos vazios do jardim».
Esta frase está qualquer coisa, poética mesmo. Para além dessa foto me lembrar o meu pai (era assim que eu dançava com ele quando era pequenina), deste-me uma vontade enooooorme de ir buscar as minhas velhinhas pontas!

p.s.-gostei muito do teu comentário, adoro perceber que me faço entender. E concordo, é mesmo do negro, com o travo amargo :) *

- jezebel disse...

amei este post
está tão, mas tão, mas tão lindo :$

Margarida disse...

está um eish, arrico a dizer que foi o texto que gostei mais. incrivel :)

Rose Dawson disse...

eu adoro, adoro mesmo os teus textos!

*Ariel* disse...

Este texto está incrível, deslizei pelas palavras! Parabéns :)

Beijinho:)*

Midnight Sun disse...

dancei sem dúvida ao ritmo das tuas palavras.