quarta-feira, 9 de setembro de 2009

A beautiful mess.


Anda, vem sentar-te aqui. Dá-me a mão se quiseres. Esquece os amores antigos e dediquemo-nos ao presente que se sucede vertiginosamente em momentos singelos. Deixo-me ficar aqui se ficares comigo, na comunhão de dois corpos que se conhecem pela intimidade das almas. Esquece as entrelinhas porque o hoje escreve-se em páginas brancas imaculadas. Não aspires a mais do que isto; basto-me, bastas-te. De previsões está o mundo cheio não vês? Os programas da manhã que tentam convencer-nos que o destino vem nas cartas, quando sei de espírito ciente que a carta do agora lhes falta no baralho. A meteorologia que dita o estado do tempo, incapaz de antecipar tempestades interiores ou fulgores quentes de ímpeto. Anda,vem sentar-te aqui. Esquece-me porque agora não sou a mesma e, neste desconhecido sem espaço nem tempo, descobre-me.


5.Setembro.2009

2 comentários:

Joana Almeida disse...

Olha Ana, quem se sentava aí era eu... E dava-te a mão... E 'agorava' ctg... E até te perguntava se era uma explosão quando a meteorologia nos surpreendesse... xD

Would you marry me? =)

Adriana Pinto disse...

(: sê feliz!