segunda-feira, 1 de junho de 2009

Big little secret.


Eu tenho-me deixado embrulhar. E este embrulhar tem-me baralhado o sistema. Não é mau estar assim, nada mesmo. Faz-me pensar muito em mim, obrigas-me a cavar mais fundo, nunca a esquecer a essência de que me orgulho. Penso muito em tudo o resto também. E em ti e no que tens para dar e na maneira delicada como te tens mostrado diferente. Se eu quero isto? Não sei. Aliás, isto quero. O que é simples. Mais que isto não sei, não penso. Sabes quais as feridas que ainda estão abertas e o tempo que preciso para sará-las, daí ser engraçado ver-te reagir, do lado de lá da mesa do café, com a tranquilidade que te caracteriza. Os simples dias de sol fazem-me feliz e tu fazes-me rir. E o melhor de tudo é descobrir amigos onde nunca imaginámos que estivessem: à beira de um lago, com uma chávena vazia e silêncios que sabem bem.