segunda-feira, 4 de maio de 2009

Com quantas cores o vento tem...


Agora é tempo de portas fechadas. Eu vou estar do lado de cá como sempre estive. Nunca trancada porque sou do acolhimento e não da exclusão. A serenidade, a luz e o silêncio são traços com que vou pintar as paredes desta casa nova que descobri. E sabes que mais? Gosto destas cores. Podes vir espreitá-las, se quiseres. Nunca atrapalhaste e deste lado não há medo.

2 comentários:

Joana Almeida disse...

Não sei se és o cúmulo, se és descomunal... Sei que gosto de ti que (não) me farto!

Beijaça!*

Margarida disse...

adorei, o texto, tão simples, tão bonito : )