sábado, 7 de julho de 2007


Às vezes não te apetece... Não te apetece prometeres-me o sempre? Sei que nunca te o pedi, mas de vez em quando tenho vontade de te prometer tudo isso. Que o meu corpo vai sempre procurar o teu, que a minha alma vai sempre querer a tua, que o meu coração vai sempre ouvir o teu. Para que possamos acertar o nosso ritmo e bater, compassados, ao tic-tac acelerado do relógio.

Sempre é muito tempo, foi o que sempre me disseram. Há quem se canse do que dura muito tempo. Prometo que não me vou cansar, meu amor. Não fomos, nem nunca seremos, monótonos. Sei que no nosso sempre vou saber descobrir estrelas novas no teu brilho.
Não posso prometer o sempre. Deixas-me prometer o amanhã?

2 comentários:

MS disse...

Gosto da ideia do sempre. Ah nem sei bem porquê, até gosto da palavra em si.

Existem muitas coisas que duram para sempre. Esta que não te importavas que existisse é das mais dificeis, mas não acredito que seja impossivel.

É melhor irmos prometendo pouco a pouco, devagar. Ou deixar de prometer e fazer acontecer, para sempre. :)

beijinho**

Tyler_____Durden disse...

tenta garantir o momento.