terça-feira, 3 de julho de 2007

26.07.2007


Baralha-me pensar que não vais voltar a estar. Que não vais voltar a rir connosco no Natal, na Páscoa, nos aniversários. Não parece real. Quando entro na tua (vossa) casa, ainda espero encontrar-te sentado naquela cadeira que gostavas, com os óculos inclinados na cana do nariz. Não sei porquê, mas não parece real. Ainda te temos presente, ainda ouvimos a tua voz, o som tão característico que fazias ao caminhar. Tão estranho, avô. Ontem estavas, hoje não estás. Consigo rever, vezes e vezes sem conta, a última vez que estivemos juntos. As palavras exactas que me disseste. Sei, no quente da saudade que o meu coração traz, que eram (e são) verdadeiras. Que serei sempre menina e que serás sempre avô querido, guardado com um sorriso junto às lembranças boas que todos estes anos deixaram.

7 comentários:

Ana* disse...

Sorri ao ler o teu texto...

Certamente q não estás sozinha...q há alguém a olhar por ti.

Rezo...contigo...convosco

Um beijinho*

Catarina disse...

Prima,sorri mas ao mesmo tempo xorei ao ler o texto...

É por isto e por muito mais k eu gosto tanto de ti, pk tns smpr akele pensamento positivo:)

Beijinhu da prima**

Pin* disse...

nita do meu coração... ao ler-te o meu coração palpitou de alegria e os meus olhos encheram-se de lágrimas de saudades... acompanhar-te(vos) fez-me reviver a morte dos meus avós... e despertar em mim as saudades dos meus.
gosto-te*

silvia lopes disse...

fizeste-m lembrar o meu avô, tb m lembro sp dele, dakilo k ele m dizia, dakilo k sonhava com ele...de tudo, cm escreveste no texto, parece k nem partiu, pk recordamos sp tanto.

O teu texto tá mto simples e mto belo ;) Gostei assim muitooooooo

Beijinho***

MS disse...

"Que serei sempre menina e que serás sempre avô querido, guardado com um sorriso junto às lembranças boas que todos estes anos deixaram."

=)

beijinho do tamanho da tua dimensão**
( é capaz de não caber aki mas vah xD)

Joana Almeida disse...

És mm GRANDE...

Gt d ti!*

Orlando Nascimento disse...

Também perdi o único avô que conheci em Outubro passado... Força!!

Encosta-te à sua lembrança. É o que fica em nós daqueles que parti~ram.

Bjo