terça-feira, 10 de abril de 2007

No calor dos corpos esquecidos



Entreguei-me. Assim. Dei-te o que existia de mais puro e inocente em mim e recebi em troca o calor de todos os corpos que respiraste. Não sei porque o fiz... Talvez porque te amava. De uma maneira tão diferente, que da força que tinha me deixava sem folêgo. Nunca de maneira sufocante, claustrofobicamente... Eras essencial para que funcionasse (ir)racionalmente. E por isso entreguei-me. Deixei que me remexesses por dentro lembranças esquecidas num canto do peito, onde pensei nunca mais pisar. Senti a tua respiração, percorrendo-me os ombros e confesso que me arrepiaste de uma maneira que não pensei ser possível. Tocaste cada canto e recanto do meu refúgio. Nunca me senti, nem nunca me irei sentir assim... Nunca mais. Tenho a certeza. Porque foste único. O único que deixei que me amasse com o tacto, às cegas e me lesse a pele com os lábios. O único que marcou a ferro e fogo o nome no meu coração inquieto. Ter-te por perto bastava para me sentir feliz e eras sempre mais que tudo isso. Gostava da maneira como me embrulhavas no colo, me embalavas naquele amor doce e me davas o sempre. Enrolavas as mãos no meu cabelo para que o cheiro te ficasse entranhado nas roupas. Dizias que assim não ias sentir tanto a minha falta, quando me fosse. Tudo isto porque me tinhas como tua, sem medos. Conhecias os corpos que te tinham percorrido e conhecias-me além do corpo. Abruptamente, um frio que corria galopante, dos pés à cabeça e tu... Sempre tu. Estreitavas-me contra o peito, deixavas que ouvisse o teu coração que batia, freneticamente... E amavas-me assim, no calor dos corpos esquecidos.

7 comentários:

MS disse...

Continuas assim e fecho o estaminé e venho para aqui venerar-te..xD

Olha...sabes aquela musica? Aquela que te mostrei e disse que dava cabo de mim. Pois..a sensação é a mesma. Aquela musica mexe tanto comigo como mexe o que escreves, e principalmente, com o que escreveste hoje.

Depois de ter descoberto onde andava o meu "eu" do sentir, ali por volta do peito, hoje, aki e agora, ele voltou a manifestar-se.

Sublime.E podemos não ser imortais mas imortalizamo-nos com coisas destas. :)


beijinho**

pekenina disse...

Desta vez acho que não vou conseguir dizer as tais palavras certas no momento oportuno. Porque me deixaste sem palavras mesmo... (o que é dificil!)... Mas que nos entregamos por amor, assim em vários sentidos, lá isso entregamos!

Não consigo dizer mais nada rapariga... estou, como hei-de dizer... ainda a pensar no que li =O

beijinhos *

silvia lopes disse...

E assim é o amor... que não conheçe a linguagem da razão, pois a única linguagem que conheçe é a linguagem do coração =)
Muito bom o texto, simples, sincero e mais uma vez carregado de conteúdo e muito sentimento =)


beijinho***

Nuno disse...

Ler-t é como q entrar num sonho maravilhoso. No entanto, smp q te leio uma dúvida assalta-me d imediato. Onde te inspiras, onde vais buscar a criatividade, as ideias e tudo o q de inesquecível acontece nos teus textos?
Uma coisa é certa, só uma personalidade, um caracter e um coração arrebatador é capaz d escrever como escreves.
lol exagerei, não??
:D

bjinho**

Badjofi disse...

ahhhh barrascaaaaaa...! o k tu keres sei eu... xD

bem, ate m sinto mal a meter um comentario destes no meios d comentarios tao excelsos... mas pronto, tu sabes k eu n aguentei a trazer um mikadinho d mediocridade a este blog... já k todo ele é maravilhoso! ai, k ate cai a pinga! xD

olha, MARABILHA!! xP

@@@@@@@@@ nessa boca sensualeeee!

Tyler Durden disse...

"Welcome to the real world",
she said to me
Condescendingly
Take a seat
Take your life
Plot it out in black and white
Well I never lived the
dreams of the prom kings
And the drama queens
I'd like to think the best of me
Is still hiding
Up my sleeve



decidi por aqui uma letra de john mayer,que acho que simboliza um pouco como devemos viver o amor.que a base deves ser tu,o pilar é constituido por ti,sem ilusoes,sem cor de rosa.

E sim.a criatividade da ana é qq de sublime,sou fã.

W_esc disse...

Permitam-me discordar da Mónica no 1º coment...

Não somos imortais??

Cada um fala por si.....