quinta-feira, 15 de fevereiro de 2007

Um dia...


Abro a janela e olho esta rua sem nome. Vejo outras janelas como a minha, que se abrem. Do lado de lá há um sorriso que se cruza com o meu. Nunca pensei que isto pudesse acontecer. Cheguei aqui como queria, sem planos. Montei o meu "acampamento" e deixei a vida correr.

Lembro-me como se fosse hoje, o primeiro dia neste novo mundo. Abri a porta, olhei as paredes em branco e pensei "É agora!A vida começa aqui."... Deixei as malas mesmo ali, ao lado da porta. Dei uma volta pela casa e saí. Saí para a rua. Abotoei o casaco, encolhi-me na chuva miúdinha que caía e andei. Andei sem rumo nem destino. Fui olhando para o chão e para o céu, com vontade de os conhecer com todo o detalhe que me era permitido. Deixei que a chuva me encharcasse o cabelo, os olhos, a boca e andei. Sem me preocupar com nada. Constipações, arrepios, espirros. Nada disto ia estragar o prazer de me deixar transbordar daquela chuva desconhecida.

Entrei num café. Sacudi o cabelo e sorri para o empregado, atrás do balcão. Pedi-lhe um chocolate quente, nesta língua tão fluída que me escorreu pelos lábios sem me dar conta. Paguei-lhe, trocámos mais um sorriso e peguei na chávena bem quente. O calor bom aquecia-me as mãos e o vapor misturava-se com o nevoeiro que a porta deixava passar. Saí outra vez. Já não chovia. O sol que espreitava não chegava para me aquecer. Não me importei. Estava ali, podia ser que eu quisesse e quis ser o que a vida me permitiu.

Até hoje. A língua, já a adoptei como minha. As saudades de casa são muitas mas prefiro assim. Prefiro que elas se acumulem para que quando voltar de vez, o brilho seja maior. Os sorrisos sejam mais largos, mais sinceros e provavelmente, mais molhados, das lágrimas que escorrem, mesmo que lá seja Verão.

Um dia sonhei que ia ser assim, que ia partir sem saber quando voltar e como ia ser. E foi. Vim sem planos, nem destino traçado e hoje, sei que não podia ter sido de outra maneira. Tenho outra casa no mundo. Para sempre.





* Um dia vai ser assim... Londres. O destino eleito. Quero mesmo ir, sem pensar no que deixo para trás e sem perceber o que tenho pela frente, por inteiro. Ir, só por ir... Porque é a vontade daquele momento. Quando for, prometo reescrever este texto. Eu vou morar para Londres e trabalhar num cinema a vender bilhetes... Pode ser ?! =] *




6 comentários:

iwiwag disse...

Interesting post... I bet you'll like my blog.... Take care, iwiwag

MS disse...

Ora bem!! Qualquer dia dizem mas esta gaja, concorda com tudo aqui neste estaminé. Então mas a culpa é tua, ou de outra coisa qualquer.

Plano fantástico, eu gosto, sabe-me bem. Sem amarras e com Londres de braços abertos. Nem mais nem menos.

beijinhos***

nice disse...

Sabes quem vai contigo,ñ sabes?!

borrowing me disse...

bom fim de semana
bjs

pirikitta disse...

Claro que pode ser! Só é preciso sonhar e correr atrás desses sonhos ;)
E depois vou ter contigo e vamos beber um desses chocolates quentes ;)

Pin* disse...

"é agora! a vida começa aqui."

pode ser tudo o que tu quiseres, porque é p ti ;)

beijinho*