segunda-feira, 29 de janeiro de 2007


Existem mundos tão fechados. Constatar isso dói... Dói porque quem vive em mundos fechados não vive a vida na totalidade. Vive uma vida sua, uma vida regrada e sem sabor. Uma vida que passa e não deixa rasto, porque simplesmente se viveu. Deixámos a vida optar por nós e fomos ao sabor da maré.
Mania idiota esta, de agarrar a vida com os dentes e espreme-la como se de uma laranja se tratasse. Mania que não desaparece de tão saudável, ou não, que é. É mania. Não é defeito nem é feitio, é mania. Porque os mundos fechados são tristes. São pequenos. São organizados. São silenciosos.
Deixa-me viver esta vida desarrumada, grande, barulhenta mas feliz. Porque nesta vida que tu não sabes viver, existem pessoas, de carne e osso como eu. Pessoas que não são grandes blocos de gelo com medo de derreter no sol. Derretemos e daí?! Quando o frio chegar, voltamos a recompor-nos e enfrentamos tudo outra vez. Ou muito provavelmente evaporamos e transformamo-nos em algo novo. Porquê?! Porque somos fragmentos uns dos outros e não vivemos assim, deixando a vida passar. Passamos com ela, marcando cada dia, cada hora, cada minuto e cada segundo. Vivemos.


[ Não me perguntem o porquê... Saíu e pronto! ;) ]

2 comentários:

MS disse...

Saiu e saiu muito bem. Também me sinto angustiada quando vejo mundos assim tao fechados, que erguem muros e mais muros. Talvez porque, apesar de tudo, eu não sou assim.
A minha vida é desarrumada e barulhenta, desajeitada mas alegre, com as emoções à flor da pele.

E é bom viver assim...

beijinho**

Anónimo disse...

nao podia passar por aqui sem te mandar uma beijoca muito gande;*...sinto saudades!
adorei o teu blog...continua miuda, tu tas la!:)

psousa13