terça-feira, 4 de maio de 2010

Ponto de pérola.

Tenho um segredo para te contar. Um não. Muitos. Tudo aquilo que nem eu reconheço mas sei que tu és capaz de ver em mim. Conta-me, quem te concedeu esse dom? É que (não sei se sabes) mas só nos teus olhos sou assim. Só no teu querer, de bem-me-quer, as cores se desvanecem e me torno mais eu. É complicado, não é? Eu sei, não te inquietes. Sempre foi assim e já encontrei a solução. Desiste de tentar compreender, verás que é mais fácil. Não me terás menos por isso e explico-te já já porquê. Não pensarei em ti como um fraco ou um cobarde que foge à primeira dificuldade, mas sim como cavaleiro andante, do meu livro de aventuras, que chega à brilhante conclusão que o entendimento é só suficiente. Entendes-me? O suficiente é neutro, insonso, e os cheiros maternais que a cozinha me traz são os mais apetitosos, transbordantes de recordações. Passa-me essa colher de pau e deixa-me contar-te um segredo.

4 comentários:

mariana disse...

sabe a comida caseira da mãe :)
*

D. R. disse...

"Passa-me essa colher de pau e deixa-me contar-te um segredo."

:)

Beijinho.

Emily disse...

Lindo. Não dispenso vir cá de vez enquando, parabéns pelo blog (:
Emily*

Joana Almeida disse...

És boa e não há muito mais a acrescentar!