segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Trust issues.


Numa frontalidade que não reconheci, aproximaste-te e colocaste o teu coração nas minhas mãos. A noite era fria lá fora mas ali, no calor dos lençóis, as mãos quentes estremeciam por não te saber cuidar. Gritei aos ventos que me trouxessem a serenidade perdida e andámos em círculos pobremente delineados, até que o tempo me escorreu entre os dedos, silencioso como só ele. É disto que preciso: tempo, pensei. E deixei-me ficar, brincando aos relógios de ponteiros entorpecidos.

I really, really care about you..

7 comentários:

filipa disse...

está tão bonito +.+

marta. disse...

é tão bom quando nos importamos realmente com alguém :')

47 disse...

Gosto! Assim vale a pena perceber o quanto é bom lutar por quem se gosta!

Adriana Pinto disse...

perfeito

Margarida disse...

fenomenal :)

Teresa Vilela disse...

tic tac tic tac tic tac tic tac tic tac

Joana M. disse...

Precisamos (sempre) de mais tempo.
Ler-te faz-me bem, Ana. (Obrigada)


*