domingo, 3 de janeiro de 2010

Outro que sabe tanto!

Sorriste-me junto ao rio
quando de febre eu morria
entre delirio palustres
e suores me consumia..
Eu ardia em fogo lento,
quando me deste agasalho.
Passaste em mim um unguento
muito mais fresco do que orvalho
(...)
Deste-me conchas do mar
e um sorriso na boca..
E eu nada tinha pra dar
que se lhe comparasse em troca..
Nativa - Rui Veloso
Para ouvir, é clicar aqui.

6 comentários:

Tyler_____Durden disse...

É tipo voar como o Jardel sobre os centrais.

* disse...

eu ia morrendo e nao era junto ao rio!
e ele sabe, ms vocês com esse andamento...
Gosto-t pa carai

Serena Van Der Woodsen disse...

Não gosto muito de Rui Veloso, só uma ou duas músicas escapam, mas gosto dos teus textos, gosto muito (:

Patrícia D. disse...

ainda ontem perguntei à rita por ti porque me faziam falta uns pozinhos magicos dos teus*
beijinhos

MS disse...

Vou sempre lendo o que escreves e mantém.se. És especial. Nos gostos, nas vontades, nos desejos. Na forma como os pões cá para fora. Gosto muito de te ler, como desde o inicio.

E lá está, o Rui também é outro que me enche com a sua musica. Curiosamente, esta musica é uma das que eu mais gosto dele, não sendo a que mais se ouve por aí. E nunca tinha encontrado ninguém que lhe fizesse referência também. Mas O teu bom gosto é aquela coisa :)

beijinho*

Adriana Pinto disse...

adoro Rui Veloso