segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Let me be.

Se eu fosse responder aos meus apetites, sentava-me no nosso jardim e deixava-me ficar, sentido um frio que há muito não me assola. E mesmo sabendo que ninguém andaria por ali, queria estar e gostar de quem passasse, sem sequer planear a vida para além disso, como já soube fazer tão bem em tempos. O verdadeiro problema é que estraguei essa parte do coração. Uma peça danificada, uma engrenagem encravada, uma correia solta. Qualquer coisa se passa e a minha falta de jeito para a mecânica, característica do género a que pertenco, não me permite melhorar. E também não sei esperar pela ajuda que chegará a seu tempo, por já ter passado tempo de mais. Voltamos ao mesmo, i'm walking in circles. Só queria jogar à macaca e que me empurrasses o baloiço que me leva à lua.

3 comentários:

lígia disse...

obrigada Ana, pela força.
talvez tenhas razão. talvez eu devesse esperar que a dor fosse embora, juntamente com as lágrimas, tal como ele foi.
Uma parte de mim quer que ele volte. Mas outra, não quer sofrer mais.
estou confusa comigo mesma.
estamos os 2 em caminhos diferentes...

Margarida disse...

cada vez escreves melhor, por isso não acredito que a parte do coração que dizes estragada não tenha cura.

filipa disse...

está lindo +.+