quinta-feira, 8 de maio de 2008


7 de Maio de 1988, pelas 7h da manhã. Acontecimento importante? Talvez. Nasci eu, em Elvas, essa cidade que muitos conhecem da música do Paco Bandeira. Nasci, cresci, vivi. Tudo lá. Andei na escola, como qualquer criança normal. Esfolei os joelhos e os cotovelos, sujei-me de tintas e marcadores, brinquei com barro e na lama, trepei às árvores, andei de bicicleta, brinquei às escolas, às mamãs, aos doutores. Lambuzei-me de marmelada e doce, entornei leite com chocolate no vestido novo, esfolei sapatos, rasguei calças, andei na catequese, aprendi a ler, a escrever e a contar. Cresci, como todos crescemos. Se tive uma infância feliz? Tive sim, não a trocava por nada no mundo. Aprendi que a terra é húmida e fria, quando regada, enterrando as mãos nelas. Percebi que os pintos não gostam de estar afastados das mães quando um me picou. Fingi que os cães dos avós eram cavalos e fui picada por mosquitos. Chorei de medo, de vergonha e de alegria. E de rir... Já chorei tanto de rir! Gosto de mil e uma coisas que muita gente acha estranha.. Outros acham especial. Eu gosto, simplesmente. Sou diferente de toda e qualquer pessoa e não gosto que me comparem. Tenho defeitos (ó lá se tenho!) e tenho qualidades. Gosto de sorrir. Porque sim, porque posso. Da mesma maneira que gosto de rir até me engasgar e não aguentar mais. Gosto da melancolia das tardes de chuva e do sabor doce de um dia quente de Verão. Gosto de cativar e de me deixar cativar. Gosto de abraços apertados, veja ou não a pessoa há muito tempo. Gosto de chegar ao bar da faculdade e ver pessoas especiais. Gosto de chegar a Elvas na sexta-feira e correr para os braços do Luís. Gosto de ficar no colo do pai e de ver a novela com a mãe. Gosto de silêncio e de confusão. Gosto de rezar e de perceber a minha pequenez e a imensidão do amor de Deus. Gosto dos meus amigos em Deus, que me fazem crescer e me dão o prazer de os ajudar. Gosto dos meus amigos não-crentes que gostam de mim pelo reflexo que às vezes consigo ser de Jesus, mesmo que eles não entendam que é isso de que gostam. Não sou melhor, nem pior que ninguém. Sou eu. Com tudo o que "ser eu" abarca, bom e mau. Sei ser estável como uma rocha e oscilante como um pêndulo.

Ontem, 7 de Maio de 2008, eu fiz 20 anos. Um número redondo como me dizia a Mónica. Bem verdade. Duas décadas, tão bem vividas. Duas décadas preenchidas de pessoas especiais, momentos especiais, sorrisos especiais, abraços especiais. 20 anos vividos da melhor maneira possível, sem arrependimentos e muitas, muitas recordações armazenadas no coração. Pequenos baús onde posso remexer sempre que quiser.. E às vezes quero. Só porque me apetece voltar a ter 4 anos e não ter preocupações na vida.
Quanto mais crescemos, mais exigem de nós.. Continuem a exigir. Obrigada por exigirem e me darem vontade de ser uma pessoa melhor. Obrigada a todos os que cruzam o caminho com o meu. Obrigada pelos telefonemas, sms's, comentários, surpresas, abraços e beijinhos do dia de ontem. Os meus dias são sempre felizes mas o de ontem ganhou cores que eu desconhecia.

8 comentários:

Bagorrilha disse...

Porque tu és assim mesmo como te descreveste, porque és pura e simples e por muito mais gosto de ti

Gosto de fazer parte de várias fazes da tua vida:
-lembro me das rebeldias de primária, das brincadeiras, das cantorias,
-lembro me tambem de tu chegares tarde as aulas logo de manha na secundaria e sempre com o mesmo sorriso nos lábios, porque tu podes.

É bom fazer parte da tua vida ainda agora e sentir uma imensa amizade e carinho por ti.

Por isso e por muito mais quero continuar a fazer parte da tua vida e quero te na minha.

Porque me lembro desde pequeno e continuo a fazer e a gostar imenso um abraço daqueles bem apertados com um beijo daqueles nessa bocheça mais boa =) tambem te posso apanhar ao colo um bocadinho, lololol

beijões deste que te adora...

@lberto disse...

Não quero deixar passar este dia sem deixar-te um grande beijinho de parabéns... um pouco atrasado eu sei. Espero poder continuar a descobrir quem és e como Ele se revela em ti... Gosto de te ter descoberto...*
;)

Catarina disse...

Ai.. Parabéns atrasados, sua pequerrucha*

pequenina disse...

Deixa-me que te diga que esses olhinhos bem abertos continuam iguaizinhos desde que eras pequenina!

Estou a ver que não sou a única nativa do signo Touro com gostos estranhos e que tem orgulho de ser diferente. Eu cá só gosto de ser comparada com quem quero e com quem gosto... por isso talvez me atreva a dizer que temos alguns (bons) gostos em comum!!! :)

Daqui a um ano sou eu a chegar às duas décadas, coisa que não me agrada muito, confesso! Gosto bastante dos meus 18 (que daqui a nada são 19...Bah!)

Bem, resta-me só desejar-te toda a felicidade do mundo!!
bjnho *

Patrícia disse...

eh pá.. atrasados mas muitos parabéns. Não nasci lá, mas tenho raizes bem proximas em campo maior.

Parabéns

ERute disse...

Ainda que atrasados, deixo-te os Parabéns por mais uma primavera...
Recordei o meu 20º aniversário que foi tão especial, como é engraçado...

E permite-me uma brincadeirinha...
"Cresci, como todos crescemos" tu cresceste um pouco mais que as pessoas ditas normais... e do que então nem se fala...

Beijos e Felicidades...

Jokinh@ disse...

Há duas coisas importnates que não referiste:

1ª A primeira vez que tentaste apanhar essa planta maravilhosa parecida com a hortelã- sim, o Ortigão!!! =P

2ª Os nossos guinchos!!

Beijo grande para ti
Nita do Rosário

Joana Almeida disse...

Ha coisa de quase meio ano tmb eu sabia ja fazer a sinopse da tua vida, deixa.m repetir:

Era uma vez uma menina que nasceu em Elvas a 7 de Maio de 1988. E nesta bela cidade lá foi crescendo com uma mana mais velha chamada Neuza que lhe deu o nome (e com quem nunca brigou! =O Lol), uma prima da mesma idade com quem foi partilhando a infância como se fosse irmã de verdade, um primo mais velho (com quem brigava!), uma televisão que a deixava assistir diariamente à Rua Sésamo, o colo protector do pai que é alto, tem olhos verdes e bigode e uns avós fofos com um quintal onde a menina gostava de brincar! E assim lá foi crescendo, dizia eu, feliz! E se cresceu… xD
Estudou no Colégio Luso-Britânico com o qual mantém fortes laços afectivos e estudou muito bem. O suficiente para chegar, aos 18 anos, à magnífica Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa. Foi lá que a conheci, quando vi entrar na 2ª fase 1,85m de gente que desde logo tive vontade de conhecer.
1,85m de altura e 1,85m de perfeição. Um coração muito maior que isso. É Católica praticante embora discorde de algumas coisas que a Igreja defende. Pertence a um grupo de jovens e através dele faz voluntariado no Verão desde há dois anos num centro de deficientes profundos em Fátima, onde encontra “o amor no estado mais puro”. Sabe fazer novos amigos mas não esquece os que trouxe da infância. “Transporta no peito a sua cidade”. É um prazer conversar com ela, um descanso trabalhar com ela, um privilégio ser amigo dela. Ri como toda a gente que vive alegre, mascara a tristeza com um sorriso quando ela aparece, frita como todo e qualquer aluno da FPCE que se preze. É dos cheiros e das saudades, lembra nos cheiros o que as saudades guardam. Gosta de estar atenta ao que a rodeia e de saborear os pequenos nadas da vida e do mundo. Mora longe do metro mas gosta de percorrer esse caminho todas as manhãs. Sente como uma criança, sabe como um adulto, pensa como poucos e escreve como ninguém. Cora com elogios mas merece-os!
Chama-se Ana Margarida Barrios Rocha. Rochinha para uns, Grande para outros, para outros ainda Guidinha. Para mim… simplesmente Ana! Porque quase sempre o melhor da vida são as coisas mais simples.

To be continued...

Até lá, deixa.m acrescentar q s algum dia cantei "Dá-me uma razao p'ra Te seguir, Senhor, p'ra cantar o teu nome a quem n sabe..." o Senhor deve ter sorrido como quem diz "Essa é canja!" e foi, mt provavelmente, nesse momento q decidiu apresentar-te a mim! =')

Um beijo e um queijo, sorte e saude e todos esses nossos cumprimentos e q venham mais 20 vezes 20! ;) Love u!*