quarta-feira, 12 de dezembro de 2007


Pior do que alguém nos desiludir, é desiludirmo-nos a nós mesmos. Porque comigo eu tenho que conviver diariamente… Contigo não. Tantas e tantas vezes me prometi que não ia chorar mais, que nada disto valia a pena, que sabia ser feliz fora de ti, fora de nós… Para me encontrar outra vez aqui, perdida entre o teu cheiro. Eu vi, eu juro que vi a curva a menos de dois passos. E juro que tentei dobrá-la, sem olhar para trás. De repente olhei para os pés cansados e reparei que reconhecia aquele pedaço de chão. Estava ali, outra vez, onde o coração me tinha largado. E chorei. Sem vergonha, com medo de não conseguir voltar a caminhar. Com as mesmas perguntas a martelarem-me o interior do crânio e a mesma incerteza nas mãos geladas. O saber que já não és uma batalha minha não me consola. Preferia que fosses, mesmo que custasse. Não me quero acostumar a esta dor, a este bichinho constante que me corrói o interior. Não quero. Quero voltar a ser dos risos, das cores, das alegrias, dos abraços, das partilhas, da felicidade. Quero voltar a ser quem sempre fui, portanto sai. Não me assombres mais com o teu amor aparente. Não te quero, não posso querer-te e se assim é, algum motivo existirá. Mesmo que isso me ultrapasse e me tire de órbita. Prometo não voltar a espreitar pela fechadura do baú. As recordações estão arrumadas e não posso, nem quero, revive-las. Vou mudar de sapatos e recomeçar a caminhada. Não é a primeira vez que o faço, nem será a última.

2 comentários:

Espirito Da Lua ( disse...

Não, com certeza não será a última.
Guarda esses sapatos no baú e fecha-os à chave. Recomeça com uns de sola mais dura, para duraraem toda a caminhada, por mais longa que pareça. Com certeza que terás sempre alguém por perto para dar o lacinho nos cordões e te dar a mão, para te ajudar a dobrar a curva. Podes chorar, algumas vezes baixinho, outras mais alto e sem vergonha e vais ter de parar, mas o mais importante é que não te deixes ficar para sempre na berma da estrada. Não! Por mais que custe, apanha boleia de quem te quer bem e acompanhar-te-ão os passos. Aí, poderás voltar a ser das cores :)

Texto maravilhoso!
Um dia destes deixo de ter comentários para ti :D

Bjinho*

m&m disse...

Mai nada! Tudo pra diante, sócia! Que prá frente é que é caminho!