quarta-feira, 7 de novembro de 2007



Como é que aos três anos se tem noção do que significa ter saudades? Ela tem. Diz-me, todos os sábados, que teve saudades minhas. Tem aquele riso, só dela e não fala, enquanto não me (re)conhece e descobre os segredos que temos vindo a guardar. Peguei nela com três meses, pela primeira vez e apaixonei-me. Não pude fazer nada porque quando me dei conta, já ela preenchida grande parte da quota diária do meu sorriso. É por ela que eu volto a ser criança e brinco, sem me preocupar com as aparências. É ela que me agarra a cara entre as minúsculas mãos, me aperta e me dá beijos, para depois rir que nem uma tonta. É ela que encosta a testa na minha e ri, de nos ver desfocadas, por causa da proximidade. É ela que se enrosca no meu pescoço e torna impossível negar-lhe colo. É ela que acha graça às cores das minhas unhas e quer pintar as dela. É ela que se lambuza com o meu batom e faz questão de me lambuzar a mim, normalmente nas ocasiões mais inapropriadas. A minha espanhola, a minha "cara de rabo", o meu piolho saltitante. A minha Madalena que, não sendo sobrinha de sangue, é sobrinha de coração.

4 comentários:

Joana Almeida disse...

Deliciosas! =)

Ana* disse...

Belissima! :)


Um beijinho

Nice disse...

Essa rainha que me adoptou a última vez que a vi e que agora me trata por "filha" e não me deixa andar na rua sem ser de mão dada com ela!!!

Tyler_____Durden disse...

Madalena...Esperanza...enfim,não conheço nenhuma delas mas só pelas tuas palavras parecem-me boa gente.Espanholas...bom se calhar entao não assim tao boa gente...LOOOOL
brincadeirinha