domingo, 15 de abril de 2007

Ninguém ama como antigamente, sabiam? Ninguém espera pelo silêncio do coração para dizer um"amo-te" sentido, daquela maneira especial que só o amor consegue. Ninguém faz serenatas, escreve cartas de amor, grita aos sete ventos que não vive sem aquela pessoa. Ninguém morre de amores, escreve poemas sobre isso, suspira por cada esquina de rua. Ninguém. Porque é que as pessoas têm vergonha, ou medo, de amar?
E sim, podem dizer que acredito em contos de fadas e que a dura realidade do dia-a-dia não permite amores assim. Mas eu confio que sim. Que há amores que sobrevivem às filas de trânsito matinais, aos duches frios porque o outro usou toda a água quente, a discussões sobre toalhas de mesa, a preparativos matrimoniais, a desavenças sobre a educação dos filhos. Eu acredito num amor que dura para sempre. Num amor que quando as rugas da idade chegam, não impede de ver nele, ou nela, o amor da nossa vida, com que fomos, somos e seremos felizes. Mesmo com todos os problemas que os relacionamentos humanos implicam.

[ É neste tipo de coisas que eu penso quando ando de Metro... :) ]

8 comentários:

Tyler_____Durden disse...

Eu tambem gostava de acreditar nisso,ou entao nao,deixar isso para os outros...
mas sim,acredito na cumplicidade enquanto for preciosa aos dois,afinal tem que se dancar o tango a dois ne?
a individualidade que domina hoje em dia pos as relaçoes num patamar periclitante...tamos emfase de ajuste sobre o k eram as relaçoes ontem,o que sao hoje,e o que serao amanha...eu tenho a minha opiniao...nao passam de relaçoes de força...beijinho

Nice disse...

Eu acredito no Amor,venha quem vier!!

MS disse...

"Vem, faz-me sorrir, faz-me chorar
Faz-me perder, faz-me ganhar
Faz-me morrer, faz-me viver
Traz-me o amanhecer
Faz-me querer sem duvidar
Faz-me mentir, faz-me jurar
Faz-me o que queres, mas por favor
Faz-me acreditar no amor."

É com esta intensidade que se devia viver o amor. Sempre. Hoje em dia isso não acontece. Porque não se acredita. Mas eu acredito, sempre.


Beijinho***grande :)

pekenina disse...

Há amores que duram uma vida sim. Tenho uns vizinhos, já com os seus 80 anos, que ainda hoje se dedicam um ao outro com a mesma intensidade da juventude.
E é neles que me inspiro quando, muitas vezes, passo por histórias menos felizes. Menos felizes porque nenhuma história de amor pode ser verdadeiramente infeliz.
Há que dizer "amo-te" sim, sem medos, preparados para ouvir o mesmo ou não! Para quê esconder?

Andar de metro leva-nos sempre a pensar em muitas coisas =)

beijinho *

W_esc disse...

Parte séria: Esse tipo de pessoas que acredita nesse tipo de amor ainda existe... raras... sem dúvida... mas há! Quando encontrares assim... podes dizer que encontraste o amor da tua vida..! :)

Parte ainda mais séria: "aos duches frios porque o outro usou toda a água quente" - Serei só eu com esquentador em casa? :)

mtos bjs

Orlando Nascimento disse...

Eu já vi esse amor de que falas, há apenas algumas semanas. Local: rua do Almada, Chiado. Uma tuna qualquer cantava uma serenata a uma menina da loja de perfumes que lá há. e as meninas todas à janela, a ver/ouvir. E os transeuntes deliciados com a cena... Meio da tarde.

silvia lopes disse...

Tb dou por mim a pensar nisso...
e claro, ha que acreditar =)

Catarina disse...

Pois é.. há que acreditar. Se não conseguirmos acreditar, seja na amizade ou no amor que se dirige a uma só pessoa, tudo perde o sentido!
Beijoca