domingo, 4 de março de 2007

Ninguém de todos os dias...


Passas como uma sombra. Ninguém te sabe o nome e mesmo assim conhecem-te porque fazes parte do seu dia-a-dia. Na mesma esquina, da mesma rua, à mesma hora. Chamam-te louco porque dizes o que pensas, falas sem medos e porque te vêm conversar com as pedras da calçada ou com os pássaros do céu. O que eles não sabem é que não é com o calcário sujo da rua que falas, nem com aqueles que voam livres, como tu gostavas de voar. Conversas contigo e com eles, sem esperar respostas e muito menos perguntas. Sabes que ninguém se preocupa em saber se tens fome ou frio, como te corre a vida ou porque choras. Nunca ninguém te abraçou e questionou a tua sabedoria. Há muito que não tens um colo quente para onde fugir, um tecto sobre a tua cabeça, um sorriso verdadeiro daqueles em que alma se ilumina e se transparece. O máximo que o coração gasto deles te dá, são olhares tristes, com pena da vida que levas. Não sabem todos os livros que leste, todas as histórias que contaste, todos os mundos que descobriste. Olham-te a medo, prendem o olhar na mala que carregas perguntando-se o que estará lá dentro. Sei que mostrarias os teus tesouros a qualquer um que se preocupasse com a brancura dos teus cabelos. És mais dócil do que muitos imaginam e mesmo aqueles que te conhecem, não te sabem decifrar verdadeiramente.

3 comentários:

MS disse...

"O olhar triste e cansado procurado alguém
E a gente passa ao seu lado a olhá-lo com desdém
Sabes eu acho que todos fogem de ti pra não ver
A imagem da solidão que irão viver
Quando forem como tu, um velho sentado no jardim.."


Primeiras palavras k recordei kd li este texto,mais uma vez, maravilhoso. Sabes que mais? Tu es grande, de alma e coração. grande nas emoções...sublime a respirar a vida.
Epa...sendo assim, gosto de ti.:)*

beijinho**

Nuno disse...

Gostei mto do texto, especialmente pela componente humana, sensível e solidária que revela. Hj em dia ninguém se preocupa com os sem-abrigo, é um facto. Pessoas a quem a vida lhes pregou uma partida, mtas delas mesmo, acredito, ainda podem dar a volta por cima. Basta uma mão amiga, um gesto. O teu texto é um bom indicador. Uma inspiração.

bjo
;)

Orlando Nascimento disse...

Também me lembrei da canção da Mafalda Veiga... Está lá tudo.

Bjo