domingo, 25 de fevereiro de 2007

Quando o mundo obriga...


O mundo obriga-me a amar. Todos os dias, a todas as horas. E eu amo, porque o mundo me obriga.
Quero não-amar. Não ver amor, não ser amor, não respirar amor. Mas mesmo assim o amor cruza o caminho dele com o meu, em cada esquina. Atravesso a rua e deparo-me com ele. Paraliso e é aí que ele entra, quando sou mais frágil. Baixei defesas por um segundo e estou presa neste ciclo vicioso de amar. Tenho tantos amores que nem os dedos das mãos me chegam para os contar. Sim, são mais de dez. Porque eu amo em demasia. Amo de forma louca. Amo aqueles que valem a pena, mesmo quando a vida lhes falha, dizem eles. Quando a vida me falha, eles estão. Nem sempre todos, mas estão. E mostram-me o quão bom é ser amada de volta. Privilégio, sem dúvida. Há quem passe sem conhecer o amor, nem por um segundo sequer. Orgulho-me de não pertencer a esse estrato. E mesmo assim, ainda me faltas tu. Tu, que vais fazer com que amar não seja uma obrigação (porque "obrigação" implica "não ter vontade de..."). Aí amar será respirar. Inconsciente, incontrolável, indispensável. Quando é que chegas? Nas mãos sobram-me carícias, guardadas para ti. Os braços transbordam de abraços e a boca reclama os beijos por dar. Vem rápido. A espera desgasta, consome, corrói o meu amor por ti. Amo-te sem te saber o gosto, a cor, a luz, o cheiro. Enquanto isso... Posso amar dessa forma os meus mais de dez amores?



* Porque ela é um desses amores. Que chegaram, ficaram e não vão partir, nunca. Tens o meu coração, meu amor. Para sempre. *

4 comentários:

MS disse...

E assim é. Chega-se aqui e uma pessoa depara-se com as mesmas emoções que eu própria sinto agora e que tb tive que escrever.

Apesar de tudo, somos mais felizes assim, a amar demais e a sentir com tudo. Os meus amores tb não cabem nas palmas das mãos, mas podemos amá-los na mesma. Ainda que seja demais.

beijinhooo***

Anónimo disse...

Foi hoje, q entrei devagarinho aqui no teu espaço..e é com um sentimento muito bonito que me recordo de ti... trago-te no coração!!
Tania
beijinho (*_*)

Pin* disse...

o amor, mais uma vez o amor e sempre o amor!
porque ele chega sem pedir licença e instala-se!*

Nuno disse...

Adorei este texto.
Amar nunca é demais, mas por vezes é um sentimento tão intenso e profundo q n nos deixa ver d forma racional e objectiva o q, na maior parte das vezes, está ali bem à nossa frente, bem claro e explícito e q nos pode, mais tarde, magoar.

Mas n, continuamos em frente, assim como se d olhos tapados estivessemos..insistimos em amar.
Já me aconteceu.
O teu texto é valiosíssimo.Não se trata, apenas d um texto bonito, trata-se sobretudo d um texto pedagógico, de reflexão. Acho q tds nós nos identificamos um bocadinho c ele.Já o li 3 vezes e tenho a certeza q vou lê-lo mais umas qtas.Principalmente pq fico smp c a sensação q ele me enche o coração.

"Amo-te sem te saber o gosto, a cor, a luz, o cheiro".

Palavras pra quê?
:)
bjo