domingo, 26 de novembro de 2006

E assim nasce...


Num dia do Verão passado o meu pai disse-me: "Devias ler mais autores portugueses" .


A minha querida irmã aconselhou-me António Lobo Antunes. Escolhi um verdadeiro calhamaço chamado "Não entres tão depressa nessa noite escura".


O primeiro excerto sublinhado:


" (...) e o papel de seda crepitou no bolso do avental, não sei porquê julguei que ia chorar e não chorei, a cadeira tornou a baloiçar na pintura do tecto, a minha irmã e eu brincávamos às fadas no rebordo do lago e era engraçado como, (mesmo sem palavras mágicas) ao primeiro gesto da varinha de condão (um pedaço de cana com uma estrela na ponta), deixaram de existir doenças, agonias, hospitais, mortes e ficou tudo bem, tudo bem graças a Deus, ficou tudo bem para sempre. "


Daí o título do blog. Daí a minha admiração por este homem. Ainda não acabei o livro mas aconselho vivamente. O nosso português vale muito a pena.


Tinha um flog antes disto, mas apeteceu-me mudar. Não sei o que vai sair daqui mas seja o que for, é de coração. *

4 comentários:

Pin disse...

Bem-vinda!!
visitar-te-ei e vou comentando contigo.
beijinhos*

_t1tas_ disse...

=)

continua meu amor
vou.te visitando :)

MS disse...

Quem vai vir aqui tb muias vezes sou eu. :)

Quanto ao post. É verdade, o nosso português vale muito a pena. E ele é fantástico.

Beijokas****

*Lena disse...

Deixo o meu beijo e a vontade de passar por aqui! *